Arquivo da categoria: Anotações

Oscar Niemeyer – A vida é um sopro

Sinopse

O filme fala da história de Oscar Niemeyer, um mais reconhecidos arquitetos brasileiros. De forma descontraída trata de aquitetura, histórias do arquiteto, luta política e de sua paixão pelas mulheres. No documentário são mostradas belas imagens de muitas de suas obras, a Casa das Canoas, o Palácio do Planalto, a Sede do Partido Comunista Francês, a Universidade de Constantine, o MAC Niterói, entre outras.

Informações técnicas:

OSCAR NIEMEYER: A VIDA É UM SOPRO
Brasil, 2006
Direção e roteiro: FABIANO MACIEL
Produção executiva: SACHA
Fotografia: MARCO OLIVEIRA, JACQUES CHEUICHE
Montagem: JOANA COLLIER, JORDANA BERG, NINA GALANTERNICK
Música: JOÃO DONATO, BERNA CEPPAS, KASSIM, FELIPE POLI
Som direto: BRUNO FERNANDES, ROBERTO RIVA
Pesquisa: EDUARDO GUEDES, NUNO GODOLPHIN
Duração: 90 minutos

Colonialismo, Periferia, Alteridade, Tribalismo, Hibridismo

Anotações da aula:

  • Modernidade
  • contexto: mudança de referente
  • referente: cidade
  • conflito, contradição
  • espirito irriquieto
  • Kant, Hegel, Marx – filósofos da afirmação
  • Baudelairefala do ser moderno, faz uma descrição, reage à nova cidade que está se formando
  • A modernidade não deixa de ser existencialista – vem da experiência do contexto
  • Hausmann – Paris – contemporaneo do Baudelaire
  • eixos monumentais
  • la defense – Paris –  Arco do Triunfo
  • primeiro lugar planejado no Brasil – Minas Gerais – Projetada pelo engenheiro Aarão Reis entre 1894 e 1897, Belo Horizonte foi a primeira cidade brasileira moderna planejada. Elementos chaves do seu traçado incluem uma malha perpendicular de ruas, cortadas por avenidas em diagonal, quarteirões de dimensões regulares, visadas privilegiadas, e uma avenida em torno de seu perímetro (Avenida do Contorno). Outro aspecto interessante do projeto original é a abundância de parques e praças, com um grande parque municipal na área central. A capital do Estado foi oficialmente transferida em 1897. A expansão urbana extrapolou em muito o plano original. Quando foi iniciada sua construção, os idealizadores do projeto previram que a cidade alcançaria a marca de 100 mil hbitantes apenas quando completasse 100 anos. Em 1997, ano do centenário, a cidade possuía mais de 2 milhões de pessoas. Essa falta de visão se repetiu em toda a história da cidade que jamais teve um planejamento consistente que previsse os desafios da grande metrópole que se tornaria. Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Belo_Horizonte
  • Multidão – traz o conceito de diversidade
  • mudanças comportamentais – dizem que se dá na pós-modernidade. Martin acredita que não.
  • universalismo
  • pós-modernismo ainda é forte em questão de sociedade do espetáculo
  • pós modernidade – qualificação do sujeito
  • alteridade – trabalhar complexidade da sociedade
  • Culturas Hibridas – Canclini

Néstor García Canclini – Vida y obra (1/2)

Néstor García Canclini – Vida y obra (2/2)

La globalización: productora de culturas híbridas?  http://migre.me/57qZU

  • Maffesoli
  • colonialismo, alteridade
  • tribalismo , hibridismo

Modernismo e Pós-modernismo

  • Globalização
  • Corporações
  • Século XX (modernista) topo da torre de babel
  • Regional/Nacional
  • Contraste/diferença
  • Formas de protesto
  • passeatas, abaixo assinado
  • “A natureza virou a própria cidade”
  • Greenpeace, modernistas, causa ideológica, é uma verdade, noção universal de natureza que nunca será recuperada
  • Natural:mente (Sao Paulo, 1979) – Flusser
  • Sociedade da vigilância e do medo
  • Sociedade do controle
  • Criticism from within – se fortalece a partir do Modernismo
  • Criticism from without
  • Institution Critiqué
  • o individuo é importante para a causa
  • Magritte – Ceci n’est pas une pipe

  • questiona-se poder de representação
  • processo metalinguistico
  • Modernismo – cultura material
  • Pós modernismo – cultura na virtualidade
  • Modernismo
  • cultura material
  • sistema político – sociedade civil
  • Arquitetura (séc XVIII – séc XIX)
  • Néo-classico – se baseia nas referências clássicas mas olha para o futuro
  • 1851 – grandes exposições universais
  • ideia do shopping
  • midia impressa

Presenteísmo da cultura na atualidade

  • Reversibilidade
    como atua hoje?
    no século XX ficou marcado pelas vanguardas
  • Revolução Francesa
  • Ato criativo – epistemologia, teoria do conhecimento
  • Alegorias – torre de babel
  • Anjo – Paul Klee –  angústia, vê o passado como destruição, desassossego, instabilidade

  • Modernidade vem de uma reflexão num processo metalinguístico
  • Ciência x Fé
    Crença no homem
  • O que nos move? Causa?
    redenção
  • Glocal
  • Zeitgeist –  termo alemão cuja tradução significa espírito de época, espírito do tempo ou sinal dos tempos. O Zeitgeist significa, em suma, o conjunto do clima intelectual e cultural do mundo, numa certa época, ou as características genéricas de um determinado período de tempo. O conceito de espírito de época remonta a Johann Gottfried Herder e outros românticos alemães, mas ficou melhor conhecido pela obra de Hegel, Filosofia da História. Em 1769, Herder escreveu uma crítica ao trabalho Genius seculi do filólogo Christian Adolph Klotz, introduzindo a palavra Zeitgeist como uma tradução de genius seculi (Latim: genius – “espírito guardião” e saeculi – “do século”). Os alemães românticos, tentados normalmente à redução filosófica do passado às essências, trataram de construir o “espírito de época” como um argumento histórico de sua defesa intelectual.
  • The Yes Men – dois ativistas culture jamming (Jacques Servin e Igor Vamos, conhecidos pelos pseudônimos de Andy Bichlbaum e Mike Bonanno), que denunciam o liberalismo através da caricatura e praticam o que eles chamam “correção de identidade”, fingindo ser pessoas poderosas e porta-vozes de organizações proeminentes.

Localização no tempo-espaço

Contemporâneo x Moderno
Estudos Culturais
USA – Identidade (mulher, negro)
UK – Estrutural, Linguística

“Os estudos culturais se originaram no Reino Unido na década de 1950 como um campo interdisciplinar oriundo dos estudos literários e históricos e depois se expandiram para os Estados Unidos e América Latina. Os estudos culturais partiram de uma crítica da concepção de cultura entendida como alta cultura, deslocando o foco de análise para a cultura ordinária da classe trabalhadora. Em seguida, ampliaram o leque de investigações. Os pesquisadores dessa área buscam, em termos gerais, compreender as intersecções entre cultura, indivíduo e sociedade. Alguns trabalhos questionam as fronteiras entre alta cultura e cultura de massa ou comercial, investigam os processos de produção da cultura, abordam objetos culturais híbridos, configurações identitárias de grupos socialmente marginalizados, processos migratórios e trocas culturais que deles advêm. Em vertente complementar, os estudos culturais contribuem para a crítica das disciplinas e saberes consagrados, indagam sobre os modos como se vêm produzindo historicamente as pedagogias, as ciências e sobre que interesses subjazem a elas; isto é, a partir de uma visada crítica e histórica lançam a dúvida sobre a construção do conhecimento no Ocidente e sobre o modo como este se impõe sobre formas alternativas de cultura e conhecimentos.”

Fonte: http://www.each.usp.br/estudosculturais/

Bauman – transformações
Teixeira – Semiótico, historiador, formação mais francesa
Sevcenko – Historiador, crítico, Sociologia
Eco – Semiótico, Cronista, “historiador”, crítico

A filosofia da caixa preta – Flusser

Vicco, contemporâneo a Descartes, coloca em xeque a estrutura do saber

Presenteísmo

Qual o tipo de estrutura o Teixeira usa para construir o seu texto?
ISac Berlim
Nieztsche – o selvagem habita em nós

EUA – historiados da arte x curador

fim da história da arte – Arthur Danto

História dos vitoriosos – Benjamin

teorias pós-estruturalistas

diferença entre internacional e global

História da arte do Brasil – começa com Ligia Duarte e Oitica

academia x universidade [tá cada vez mais corporativa]

Apresentação do programa e problematização da matéria a ser estudada pela disciplina

Vídeo “80064” – Artur Zmijewski

Sobre a exposição de Artur Zmijewski aqui no Brasil. http://migre.me/4aDL8

Um pedaço do vídeo. http://migre.me/57q4i

Estética do Choque

Dissertação de Milena Travassos que fala sobre a estética do choque.
Disponível em : http://migre.me/57q5m

A Fonte, 1917
Marcel Duchamp

Programa “Em Busca da Arte – os bastidores das obras-primas” conta a fascinante história por trás de grandes obras que estão nos museus franceses. Neste link, o pedaço do programa que fala sobre “A Fonte” de Du Champ. http://migre.me/4aDM5

Porco, 1966
Nelson Leirner

Entrevista com Nelson Leirner
Disponível em: http://migre.me/4aDPv

Desconstrutivismo

COLIN, Silvio. Para entender o desconstrutivismo.
Disponível em: http://migre.me/4aDMP

Artistas-etc – Ricardo Basbaum

BASBAUM, Ricardo. Amo os artistas-etc.
Disponível em: http://migre.me/4aDNC